Tudo sobre mochilagem

Colocar uma mochila nas costas e sair, sem tempo, nem eira e nem beira. Essa é a filosofia de um mochileiro; aventurar-se, colocar tudo o que pode precisar dentro de uma mochila, abrigar-se em locais baratos, como albergues e pousadas, e optar pelo meio de transporte mais econômico possível faz parte da vida desses viajantes. Hoje já é possível arriscar-se mais e conhecer outros países, levando em consideração os baixos preços de certas companhias aéreas em determinados períodos.

Para os viajantes de plantão, que, sem hora para voltar e sem um roteiro minuciosamente traçado, saem desbravando o Brasil e afora, aí vão algumas dicas de mochilagem.

A escolha da mochila ideal

Antes de qualquer coisa você precisa escolher a mochila que mais se adeque ao seu tipo físico e às suas atividades. Dentre os inúmeros tipos as mais conhecidas e utilizadas são:

  • Mochilas de uso misto: têm capacidade para até 60 litros e são adequadas para caminhadas mais curtas.
  • Mochilas cargueiras: comportam até 90 litros; se você não está acostumado com trilhas não abuse do peso.
  • Mochilas de Hidratação: ideal para as atividades que mantêm as mãos ocupadas, como pedaladas, pois oferecem saída de mangueira para hidratação, desta forma não é necessário parar para tomar água. Podem ser funcionais em dias curtos nas montanhas, por serem leves.

Lembre-se:

  • Se você tem preparo físico carregue até 1/3 do seu peso, se não tem, carregue apenas 1/4.
  • Para quem pretende carregar equipamentos de camping é melhor optar por mochilas com barrigeira, pois elas ajudam a “distribuir” o peso.
  • Muitos bolsos externos, laterais e traseiros, podem atrapalhar a caminhada, pois enroscam em mata fechada e “atropelam” em rodoviárias e aeroportos.
  • Procure encontrar um ponto de equilíbrio entre o seu tamanho e o tamanho da mochila, distribuindo o peso dos materias.

Essas simples dicas podem tornar sua viajem mais confortável e proveitosa.

Sugerimos, para o seu próximo destino, a cidade de San Pedro de Atacama, no Chile, que tem como atrações o Vale da Morte, o Vale da Lua, os Gêiseres de Tatio e muitas outras. Não existem vôos diretos pra lá, é preciso utilizar serviços de transfer, táxis ou locação de veículos. Confira os albergues da região no HostelWorld.com.

 




Curta no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *